Kendrick Lamar recebe título de “ícone da geração”

o-matic

Kendrick Lamar é um dos principais cenas do rap norte-americano. Para o governo da Califórnia, ele também é uma das personalidades mais influentes desta geração. O título de Ícone da Geração do Senado Distrital da Califórnia foi dado pelo senador Isadore Hall III nesta segunda-feira (11).

O senador é natural do distrito de Compton, subúrbio de Los Angeles, conhecido por altas taxas de desemprego e criminalidade – assim como Kendrick. Ao justificar a homenagem, ele afirmou que “Lamar não deixou a fama recente levar o melhor dele. Se você visitar Compton, e eu encorajo todos os meu colegas a fazerem isso, o rapper é um rosto muito familiar pela vizinhança”.

O músico agradeceu o reconhecimento e afirmou o desejo de ajudar sua cidade natal por meio da música. O cantor nunca negou suas origens humildes: junto com Dr. Dre, gravou a canção Compton, que fala sobre a realidade difícil do lugar. O clipe de King Kunta também ilustra um pouco do que é a cidade.

A fama do rapper veio acompanhada de forte crítica social. O álbum To Pimp a Butterfly, de 2015, foi um dos lançamentos mais aguardados do primeiro semestre, e mistura músicas-pop-chicletes com a história da cultura negra.

A própria King Kunta é um exemplo: o hit fala do personagem Kunta Kinte, do livro “Roots: the Saga of an American Family”, de Alex Haley. Na história – que depois virou série de televisão –, Kunta é um escravo que tem os pés cortados por tentar fugir de seus senhores, exaltando o espírito de luta do povo negro contra o racismo.

O single I rendeu à Kendrick o grammy de melhor performance de rap. Em sua versão estendida, a música possui emblemáticos versos sobre a palavra negus, título de nobreza em sociedades da Etiópia. A pronúncia é a mesma de niggas, ofensa racista comum em países de língua inglesa. A reflexão sobre o papel dos negros na sociedade norte-americana, repleta de rivalidades raciais, é parte comum de suas canções.

Coincidência ou não, o título de Ícone da Geração aconteceu muito perto de uma pesquisa que colocava o rap como grande revolução da música ocidental. O estudo foi comandado por pesquisadores da Queen Mary University of London afirma que o rap foi um conceito totalmente novo e inesperado na sociedade americana, quebrando todos os padrões de musicalidade da época.  

Elyson Gums

Estuda jornalismo porque não deu certo como zagueiro. Gosta mais de batata do que de estudar, e assiste muito desenho e filme pastelão.